10 dicas para um Curriculum competitivo

Dada a actual situação do mercado de emprego, ter um currículo que se distinga, é com certeza uma vantagem competitiva. Assim, aqui ficam 10 dicas que o irão ajudar nesta tarefa:

– É importante reservar tempo para fazer o seu currículo; pense nele como um investimento, afinal este vai ser o seu “cartão de visita”. Por esse motivo, procure adaptar o seu currículo a cada empresa e anúncio a que responde.

Divida o currículo em grandes grupos, que permitam aos seleccionadores encontrar com rapidez a informação que procuram (por exemplo: dados pessoais, habilitações literárias, formação complementar, experiência profissional, outros conhecimentos e informações complementares). A ordem em que vai dispor estes grupos é também importante; se o currículo estiver bem estruturado, a leitura torna-se mais fácil.

Dados pessoais – Nesta secção procure incluir dados que sejam realmente importantes para os seleccionadores. É essencial destacar o seu nome, morada actual, números de telefone fixo e móvel, e e-mail. Há muitos dados que são pouco importantes ou redundantes. Se tiver um nome claramente masculino ou feminino, de que serve indicar o seu género? Por outro lado, não existe necessidade de repetir idade e data de nascimento, opte por uma das duas. Não é importante disponibilizar números de bilhete de identidade, contribuinte, carta de condução (pode referir que tem). Dados como a altura, por exemplo, só serão importantes para funções muito específicas. Junte uma foto se a empresa tiver pedido, ou se a boa apresentação for um requisito.

Habilitações literárias – Disponha esta informação do grau mais elevado, para o menor. Por outro lado, não é necessário disponibilizar informação “até à escola primária”. Indique o ano de início e o ano final, a instituição que frequentou, a área do curso, e a média (se for favorável).

Formação complementar – Nesta rubrica deve mencionar cursos de formação profissional, de especialização e workshops que tenha frequentado. É importante que mencione a área, a instituição, a carga horária, e a classificação obtida. Se alguma destas experiências tiver ocorrido fora do país, indique também o local e o idioma.

Experiência Profissional – Apresente apenas a experiência relevante para a função a que se candidata demonstrando a sua capacidade de discernimento; as empresas em que trabalhou, quando e durante quanto tempo. Faça uma breve descrição das funções desempenhadas; caso não tenha experiência profissional pode sempre mencionar trabalhos académicos em que tenha tido uma boa nota (mencione o nome do docente); um estágio ou um trabalho temporário.

Outros Conhecimentos – Deve mencionar conhecimentos que tenha noutras áreas sem ser aquela para que concorre; por exemplo de informática, línguas, mencionando o nível de conhecimento de cada área.

Informações Complementares – Pode mencionar actividades extra-curriculares, tais como apresentações públicas, artigos publicados, projectos especiais.

Data e Assinatura – Date o currículo no final e assine cada página; a data implica que o fez para aquele caso específico, sendo a do dia em que vai enviar; a assinatura é uma forma de comprovar que foi feito pelo próprio candidato e torna o currículo mais pessoal.

Mais dicas: Deve mencionar todas as informações relevantes para a função a que se candidata, tais como as suas principais qualificações e competências nessa área, demonstrando objectivos específicos do que pretende alcançar. Deve dar exemplos concretos do que já fez noutras funções e que permitem mais facilmente compreender as suas capacidades Utilize verbos na voz activa, que indiquem determinação: alcançar, ganhar, aprender, servir, arranjar, encorajar, etc. Use palavras como: primeiro, único, melhor… Que tornarão o seu currículo mais rico e apelativo.

Fonte: Superemprego.pt