Os maiores mitos sobre o Curriculum Vitae

Elaborar um Curriculum Vitae pode tornar-se um processo penoso quando estamos perante as mil e uma regras de ouro que o mercado de trabalho nos impõe. No entanto, nem todas as teorias que se ouvem se aplicam à mesma situação, e nem tudo o que ouvimos é verdade. Neste caso, o que fazer? Segue-se a desmistificação de algumas teorias sobre o que é importante ou não ao elaborar um CV.

Um bom Curriculum deve ser extenso.
Falso! Um bom Curriculum deve ser sucinto e objectivo. Destaque apenas o que é verdadeiramente importante e esqueça os dados superficiais. Acha mesmo que é importante saber onde fez a primária? Ou que foi director de turma na escola secundária?

Um Curriculum manuscrito valoriza os candidato.
Errado. A Carta de Apresentação deverá ser escrita manualmente, mas o seu Curriculum ficará mais legível e mais bem organizado se utilizar um editor de texto. Deverá, no entanto, assinar sempre o seu currículo e colocar a data (de preferência, do próprio dia em que o envia).

O marketing pessoal é fundamental.
Claro que é fundamental saber fazer marketing de si próprio e criar expectativas no eventual empregador. Mas há que ter muito cuidado na forma como expõe as suas qualidades: não exagere e, obviamente, não minta. Será muito prejudicial se vender o “produto” muito acima do seu valor real.

Originalidade é a palavra chave.
Nem sempre! Apenas nas áreas criativas (como a publicidade ou o design) é valorizada (e compreendida) uma imagem mais arrojada ou um formato diferente.
Para os restantes casos, a sobriedade e a simplicidade são requisitos fundamentais.

Enviar por correio tradicional ou entregar “em mão” é o meio mais seguro.
Absolutamente falso! Hoje em dia, a maior parte das empresas já prefere receber comodamente todas as candidaturas por e-mail e o correio electrónico é um método seguro de enviar o seu Curriculum.

Um Curriculum completo deve incluir comprovativos das competências referidas.
Pelo contrário! À partida, não existem motivos para duvidar dos elementos que constam no seu CV. Tal como normalmente não envia um comprovativo de morada, evite anexar certificados, diplomas ou cartas de referência, a não ser que lhe seja expressamente solicitado.

Fonte: Superemprego