Seis vantagens financeiras para os jovens

VantagensFinanceirasJovens_ContSabe quais as vantagens de ter menos de 30 anos, num artigo destinado a todos os jovens.
Ser jovem pode ser motivo para ter direito a uma grande variedade de apoios para arrendar casa ou encontrar emprego e também para beneficiar de descontos nas mais diversas áreas. Neste caso, a idade torna-se uma vantagem. O Saldo Positivo ajuda-te a conhecer os apoios que existem num artigo destinado a menores de 30 anos.

1. Está atento às “borlas” oferecidas pelos bancos

Porque as crianças e jovens de hoje são os clientes de amanhã, os bancos têm vindo a reforçar as suas atenções e campanhas de marketing para este público-alvo. Este “piscar de olho” é feito de várias formas: oferecendo, por exemplo, bilhetes para festivais de música na contratação de determinado serviço financeiro, ou através da criação de contas bancárias, onde os estudantes não pagam comissões de manutenção. Outra tendência que se tem verificado nos últimos tempos é a criação de pacotes de serviços bancários especialmente dirigidos ao público mais jovem, em que muitos destes serviços estão isentos de custos. Por exemplo: é comum estes pacotes de serviços incluírem um cartão de débito e de crédito em que o estudante não paga anuidades, uma conta à ordem isenta de despesas de manutenção, uma conta poupança sem montantes mínimos de abertura e o acesso ao serviço de ‘homebanking’ da instituição. Para conheceres os serviços da CGD especificamente dirigidos ao público mais jovem clica aqui.

2. Aproveita os descontos associados ao Cartão Jovem

Existem duas modalidades de escolha no que toca ao Cartão Jovem: o cartão jovem clássico e o mega cartão jovem. O cartão jovem clássico destina-se a jovens entre os 12 e os 29 anos (inclusive) e dá direito a descontos, reduções, isenções e serviços exclusivos fornecidos por empresas públicas ou privadas, autarquias, associações e outros. É possível, por exemplo, ter desconto em cinemas, festivais de música, viagens, pousadas da juventude, museus e monumentos. A adesão a este cartão custa 10 euros e tem a duração de um ano. O mega cartão jovem, abrange as mesmas idades que o cartão jovem clássico, mas alia os descontos a um cartão de débito. Tem a vantagem de poder ser utilizado como cartão de débito e prestar descontos tanto em Portugal, como por toda a Europa, em viagens, espetáculos, compras e serviços.

3. Cartão de estudante também dá direito a descontos

Prosseguir os estudos também traz vantagens. Ao apresentares o teu cartão de estudante em vários locais como museus ou cinemas, por exemplo, tanto em Portugal como no estrangeiro podes ter direito a uma redução no preço do bilhete normal. No entanto, se pretendes viajar e ainda és estudante é preferível aderir ao Cartão Internacional de Estudante. Este cartão, que tem um custo de seis euros, funciona como prova do estatuto de estudante a tempo inteiro e é aceite em todo o mundo. Com ele, podes beneficiar de descontos em transportes, alojamento, museus, espetáculos e outros.

4. Arrendar casa com o apoio do programa “Porta 65”

É um programa destinado aos jovens com o objetivo de apoiar o acesso ao arrendamento a este público-alvo e, ao mesmo tempo, de promover o arrendamento urbano. Privilegia os candidatos com rendimentos mais baixos e pretende dar alguma mobilidade e flexibilidade a quem beneficia deste programa, uma vez que quem pretende mudar de casa não perde direito ao apoio.

O Porta65 permite a apresentação de candidatura a quem ainda não completou o primeiro ano de trabalho e oferece uma subvenção mensal, isto é, uma percentagem da renda, aos candidatos aprovados neste programa por 12 meses, sendo que o apoio pode ser renovado. Não é necessário ter um contrato de arrendamento, podendo existir no ato de candidatura apenas um contrato-promessa e o cumprimento da taxa de esforço ( recorde-se que o valor da renda tem de ser igual ou inferior a 60% do rendimento disponível). A renda pode ser complementada com apoios sociais, como subsídios de maternidade e desemprego ou ainda bolsas de estudo.

Para quem escolher arrendar casa em áreas históricas e de reabilitação urbana ou para quem tem filhos ou pessoas portadoras de deficiência a cargo, o valor do apoio aumenta. Para te candidatares necessitas de ter uma idade igual ou superior a 18 anos e inferior a 30 anos, sendo que no caso de casais jovens, um dos membros pode ter até aos 32 anos; seres titular de um contrato de habitação ou contrato-promessa de arrendamento; não usufruires de qualquer outro tipo de apoio público à habitação; não podes ser proprietário ou arrendatário; não podes ser parente do senhorio e o teu rendimento mínimo não pode ser superior a quatro vezes o valor da renda máxima auferida, sendo que no caso de viveres em conjunto, a soma dos rendimentos tem que ser compatível com uma taxa de esforço máxima de 60%.

Os interessados poderão candidatar-se a este programa numa das quatro fases abertas ao longo do ano (duas fases em abril, outra em setembro e uma outra em dezembro). De momento, encontra-se aberta uma das fases de candidatura que termina a 3 de outubro.

5. Entrar no mercado de trabalho através do programa Impulso Jovem

Um dos maiores problemas que os jovens enfrentam neste momento é conseguirem um emprego depois de terminarem os estudos. A pensar nestas dificuldades foi criado pelo Executivo o programa Impulso Jovem.

Este programa tem como objetivo aumentar a empregabilidade dos jovens em Portugal, dando apoio em quatro áreas fundamentais: estágios profissionais, apoios à contratação de jovens, empreendedorismo e formação profissional. No que toca aos estágios profissionais estes destinam-se a jovens entre os 18 e os 30 anos, inclusive, inscritos como desempregados no Instituto de Emprego e Formação Profissional (IEFP) e que sejam detentores de qualificação entre o nível 2 e o nível 8 do Quadro Nacional de Qualificações. O estágio tem duração de 12 meses e o estagiário tem direito a bolsa de estágio mensal, subsídio de alimentação e seguro de acidentes de trabalho.

O projeto de apoio ao empreendedorismo jovem passa pelo Passaporte para o Empreendedorismo destinado a jovens até aos 30 anos, detentores de licenciatura há menos de três anos; jovens até aos 30 anos detentores de licenciatura, mestrado ou doutoramento e inscritos nos centros de emprego há mais de quatro meses ou jovens até aos 34 anos, detentores de mestrado e doutoramento e fornece um conjunto de instrumentos técnicos e financeiros, como por exemplo acesso a uma rede de mentores para orientação e acompanhamento individualizado ou atribuição de um bolsa para o desenvolvimento do projeto.

A Rede de Percepção e Gestão de Negócios (RPGN) constitui um apoio mais alargado ao jovem, uma vez que, inicia-se desde a gestação da ideia, ao estabelecimento de um princípio sustentável, chegando até ao objetivo de cariz associativo e empresarial.

6. INOV Contacto: um apoio para encontrar uma oportunidade no estrangeiro

Este programa destina-se à formação de jovens com qualificação superior, através de estágios internacionais com uma duração entre os seis e os nove meses. O INOV Contacto destina-se a jovens que tenham até aos 29 anos de idade, inclusive, licenciados e que falem fluentemente mais do que uma língua estrangeira. Aos estagiários selecionados é atribuída uma bolsa mensal, um subsídio de estadia no exterior, um seguro de acidentes de trabalho e pessoal e uma viagem de ida e volta entre Portugal e o local do estágio no estrangeiro. O programa dá ainda acesso à NetworkContacto, uma rede informal de conhecimento e contactos internacionais.

por Inês Correia
Fonte: Saldo Positivo